Escola pública ganha reforma após aluna de 13 anos criar página no Facebook

Ninguém imaginava que pudesse acontecer, mas aconteceu.

Cansada de não ver os problemas da escola municipal em que estuda serem resolvidos, a estudante Isadora Faber, de 13 anos, resolveu criar uma página no Facebook para mobilizar seus colegas. A jovem moradora de Florianópolis (SC) queria mostrar a infra-estrutura precária da escola para exigir consertos e um ensino melhor.

Isadora começou a página “Diário de Classe” em julho, postando fotos de portas sem fechaduras, fios desencapados, ventilador e bancos do refeitório quebrados, pintura desbotada da quadra, com recados pedindo pela manutenção. Depois, passou a relatar a ausência de alguns professores titulares cobrando da prefeitura aulas de qualidade. Ela esperava mobilizar no máximo 100 seguidores, pessoas mais ligadas a sua comunidade escolar, mas a iniciativa extrapolou o município e começou a chamar a atenção de internautas em todo o Brasil. Até o fechamento dessa matéria, a página Diário de Classe já tinha 180 mil curtidores.

Nesse meio tempo, os pais de Isadora foram chamados duas vezes à escola. “Eles ameaçaram me processar, queriam que tirasse a página do ar. Enfim, não gostaram nada da história”, disse ao portal G1. Para a diretora, os problemas deveriam ser resolvidos de outra forma, nos espaços democráticos dos conselhos de classe: “Aí sim poderíamos resolver os problemas corretamente”. A repercussão das postagens de Isadora também incomodou uma professora da escola, que se sente ofendida com comentários agressivos contra professores que acabaram surgindo na página. “A profissão de professor já é tão difícil e muitos comentários estão nos desvalorizando ainda mais”, desabafou ela.

A mãe de Isadora, Mel Faber, afirma que, apesar de terem ido duas vezes à escola, ela e o marido estão apoiando a filha. “Ela começou com a intenção de mobilizar a comunidade e levantou uma bandeira muito forte, pedindo para os colegas apoiarem. Ela está exercendo sua cidadania e desde o início disse pra ela que não era uma revolucionária de Facebook, mas teria que ir à escola e enfrentar as consequências. Ela disse que iria até o fim e vai mesmo”, afirmou.“Ela sofreu punição que talvez alguns jornalistas formados não tenham vivido”, disse Mel ao jornal O Estado de S. Paulo. “Ela sofreu represálias até das merendeiras. É difícil para ela sozinha. Mas ela continua indo à aula todos os dias, e usa o Facebook como uma ferramenta de defesa”, diz a mãe. Mesmo assim, Isadora já sabe o que quer ser quando crescer: jornalista.

Depois da criação da página, a Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis fez uma auditoria na escola e alguns problemas, como as fechaduras, já foram solucionados. E nesta terça-feira (28), veio o anúncio de uma grande vitória: a prefeitura afirmou em nota oficial que vai reformar a escola de Isadora. As obras começaram no mesmo dia. “Essa página veio inclusive nos auxiliar no monitoramento da escola. É uma espécie de ouvidoria”, disse a secretária de educação.

Ainda melhor: a diretora da escola assumiu, durante a reunião com a secretaria de educação, segundo site da prefeitura, a responsabilidade por haver em sua escola uma gestão deficitária. “Eu assumo publicamente que ocorreu fragilidade na administração do estabelecimento. Vamos a partir de agora trabalhar de forma diferente a parte administrativa e a preservação do patrimônio público”.

Um dos problemas mais difíceis e que requer atenção especial da prefeitura é o vandalismo. Em julho, a secretaria informou que foram trocadas 13 luminárias que no mês seguinte foram danificadas novamente. Para trabalhar o cuidado dos alunos com a estrutura física da escola, a diretora diz que fará um apelo à Associação de Pais e Professores. Por se tratar de uma questão educativa, haverá também campanhas para que os alunos se conscientizem da necessidade de se engajarem no zelo de todo o ambiente escolar. “Os alunos têm que saber que a participação deles é fundamental para preservar um bem público”. Além disso, a diretora vem participando de formação para criar o Conselho Escolar, que auxiliará na manutenção do estabelecimento e na gestão administrativa, pedagógica e financeira.

Um belo exemplo para as escolas em todo o Brasil!

Agora Isadora está empenhada em ajudar a divulgar iniciativas iguais a dela, orientando estudantes a criarem seus próprios “Diários de Classe”. Lembrando que é preciso usar a liberdade de expressão com bom senso e não dar espaço para ofensas, apenas para a crítica construtiva e o debate democrático. Quem quiser começar uma história como a da Isadora e quiser tirar dúvidas com ela, pode mandar mensagem com o título “fanpage escolar”.

O C do ABC está disposto a ajudar esse movimento que pode revolucionar a educação. Já imaginou se mais estudantes fizessem o mesmo que Isadora? E se esse tipo de fiscalização se estendesse para outras áreas do serviço público? Como será que estão as escolas públicas em São Caetano? Quem quiser também pode mandar fotos para O C do ABC. Publicamos aqui e reforçamos o coro por melhorias.

Insista, persista e não desista! Nada é impossível de mudar!

Conheça a página “Diário de Classe”, de Isadora Faber: https://www.facebook.com/DiariodeClasseSC

As fotos abaixo são da página de Isadora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s