Como escolher um candidato a vereador?

São Caetano tem 304 candidatos a vereador e uma avalanche de propaganda eleitoral nas ruas. Diante desse cenário brutal, como escolher?

A legislação eleitoral permite uma série de formatos e meios de divulgação das candidaturas para fazer chegar ao eleitor informações que o ajudem nessa difícil tarefa. Mas o que vemos nesse período é exatamente o oposto. Na maioria das vezes, são campanhas “para as massas”, com uma parafernália que não diz quase nada sobre os candidatos, levando apenas nome, número e duas ou três palavras-chave: “Fulano de Tal, 0000, saúde, educação e segurança”. A imprensa também não coopera e cobre pouco a corrida para vereador justamente pela dificuldade de acompanhar os passos de tanta gente.

Então, como fazer para definir em qual candidato vale a pena prestar atenção?

Com cavaletes, santinhos e jingle é que não será. Decidir com base em correntes (“vote nulo para ter nova eleição”, “não reeleja ninguém”) é roubada, e já explicamos por quê (url voto nulo não anula eleição). Escolher apenas por ser um candidato popular ou boa pinta não é algo muito inteligente. Candidatos bem apessoados podem ter boas ideias, mas votar neles apenas pela aparência não é razoável. Ainda tem aqueles que votam por pequenos favores ou falsas promessas, o que sai caro para a cidade depois. É importante lembrar que o poder público é para todos e não para poucos. E quem governa para poucos, deixa todo o resto da população desamparado.

Então, resta pesquisar. Como há um mês e pouco pela frente, dá tempo para identificar e fuçar a vida de uma boa meia dúzia de candidatos antes de decidir o voto. Se você estiver disposto a votar bem informado, veja algumas dicas de pesquisa:

1) Saiba qual é a função do vereador: o trabalho dele é com leis e com a fiscalização do executivo, ou seja, das ações do prefeito. Quem executa obras é o Executivo, quem cria leis é o Legislativo. Cabe ao vereador pensar em coisas que possam melhorar a cidade, mesmo que seja preciso pressionar o poder Executivo. Procure saber também qual é o conhecimento que o candidato tem sobre o legislativo.

2) Nessas eleições, boa parte dos candidatos faz campanha tanto na internet quanto na rua. É comum darem o endereço do seu site de campanha. Anote. Visite. Idealmente, no site você deve conseguir saber mais sobre o que o cidadão pensa. Um bom site de campanha de vereador apresenta ao eleitor, de forma clara, as propostas, notícias, opiniões e a biografia do candidato, além de permitir uma comunicação direta para que você possa tirar suas dúvidas com o próprio.

3) Faça contato. Tente conhecer pessoalmente o candidato. Mande um e-mail perguntando o que ele pensa sobre temas que você acha importantes. Interaja com ele nas redes sociais, nas páginas de discussão sobre a sua cidade, tire dúvidas, questione. Se ele ou seus assessores responderem enrolando ou só repetirem slogans, desconfie. Se ele não puder atendê-lo agora, imagine depois de eleito.

4)  Procure saber quais são as prioridades do candidato, suas propostas e qual o domínio que tem sobre os temas que defende. Uma outra questão importante para perguntar é se pretende cumprir o mandato até o final ou apenas usá-lo como trampolim para realização de sonhos maiores (como candidatar-se nas próximas eleições daqui a dois anos).

5) Visite o DivulgaCand, da Justiça Eleitoral, que tem os dados mais atualizados do registro eleitoral de todos os candidatos. Eles reúnem dados públicos disponíveis sobre cada parlamentar em exercício no país, por cidade: quanto gastou em campanhas anteriores, que patrimônio possui e ficha criminal. E saiba quem são os financiadores da campanha do candidato, afinal é nessa etapa que abrem-se as maiores brechas para a corrupção e a troca de favores (vide caso Carlos Cachoeira, frequente financiador de campanhas). Fique atento principalmente às grandes quantias e às doações feitas por grandes empresas e/ou pessoas ligadas a elas.

6) Por último, tome conhecimento sobre a atuação do partido e a coligação aos quais o candidato está vinculado. Muitos eleitores dizem que votam “em pessoas e não em partido”, mas nas eleições para vereador o seu voto vai ajudar a eleger os mais votados do partido (e da coligação) e não necessariamente o candidato que você escolheu. Sem querer, por tabela, você corre o risco ajudar uma tranqueira a se eleger. Isso se chama eleições proporcionais. Portanto, cuidado com o voto “maria vai com as outras” ou com aquela história de votar no amigo ou no parente só pela amizade ou pelo parentesco.

Isso dá trabalho? Muito. Mas pesquisar antes de votar reduz a chance de surpresas desagradáveis depois.

Um dos grandes desafios da eleição para vereador é a participação do eleitor, já que muitos preferem escolher apenas o prefeito, abrindo mão de influenciar na formação da Câmara Municipal. Queremos mobilizar o cidadão para provocar a discussão em torno dos critérios que nos levam a decidir e temos a esperança de que iremos avançar no sentido de qualificar nosso voto. Um voto pensado melhora o perfil da Câmara e se reverte em qualidade de vida para o cidadão.

Lembre-se: seu voto não tem preço, tem consequência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s