Especialistas criticam atuação ambiental do ABC

A Rio+20 traz consigo a expectativa de que sejam traçadas metas coletivas entre os países participantes, que solucionem ou amenizem o efeito da utilização desenfreada de recursos naturais, algo que, de acordo com ambientalistas, não vem sendo praticado na região do ABC, informa o jornal Repórter Diário.

Além da falta de políticas públicas efetivas por parte das prefeituras do Grande ABC, o Consórcio Intermunicipal também faz pouco para pressionar o poder público da região. “Todas as cidades deveriam ter agendas especificas para ações que promovessem o desenvolvimento sustentável. Infelizmente, isso não acontece e o Consórcio Intermunicipal também não exerce o papel que deveria”, afirma Ronaldo Queiródia, presidente do Instituto Acqua, entidade fundada em 1999, que desenvolve projetos e políticas socioambientais voltados para bem-estar humano e preservação do meio ambiente. Para Queiródia, falta integração e criatividade aos dirigentes do ABC, mas resalta que “o Consórcio ainda é o instrumento mais importante para a elaboração e concepção de uma política de desenvolvimento sustentável regional e, por isso, é necessário fortalecer esse instrumento como indutor dessa política”.

“A atuação do Consórcio e das administrações municipais devem ir muito além do pragmatismo que é visto hoje. É necessário quebrar paradigmas e investir pesado na fomentação de iniciativas criativas que envolvam toda a região, para que a urbanização e crescimento populacional não prejudiquem ainda mais nosso meio ambiente”, define, Marta Marcondes, professora de biologia da USCS (Universidade de São Caetano do Sul) e coordenadora do grupo de estudos que avalia a qualidade da água dos rios e córregos da região mantido pela universidade. ”Nossa região é altamente industrializada, o que nos obriga a ter sempre cuidado com a poluição produzida pelas empresas, mas existem outros pontos que precisam de atenção”, pontua, ressaltando questões relacionadas ao destino final do lixo produzido nas cidades e da preservação do sistema Billings de abastecimento.

Documento oficial da Rio+20 decepciona

Apesar de finalizado na terça-feira (19) após mais de seis dias de intensas negociações, o governo brasileiro não descarta a possibilidade de modificações no documento oficial da conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, durante as reuniões dos chefes de estado, que começam nesta quarta-feira (20) no Riocentro. O documento ficou abaixo das expectativas de praticamente todos os setores da sociedade. “A crise financeira internacional foi recitada como mantra no Riocentro para justificar o travamento das negociações, da mesma maneira que num passado não muito distante a urgência de o mundo priorizar o combate ao terrorismo desidratou fortemente os debates em torno do desenvolvimento sustentável”, disse o jornalista André Trigueiro no blog Mundo Sustentável.

Faça aqui o teste do portal G1 e descubra qual é o seu perfil sustentável.

Anúncios

2 Respostas para “Especialistas criticam atuação ambiental do ABC

  1. Caro Thiago Cavallini: Veja retificação, postada no site do Repórter Diário:
    “Instituto Acqua 15/6/2012 14:06:58 Ao contrário do que diz a publicação, o diretor presidente Pepe Querodia ressaltou o seguinte: “O Consórcio ainda é o instrumento mais importante para a elaboração e concepção de uma política de desenvolvimento sustentável regional e, por isso, é necessário fortalecer esse instrumento como indutor dessa política”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s