Transporte precário para Congonhas

O C do ABC recebeu recentemente uma denúncia de uma usuária da linha 470 sobre a redução do número de ônibus executivos e a substituição por microônibus que não tem capacidade para levar todos os passageiros em hora de pico. A linha que sai de Santo André e vai até o aeroporto de Congonhas, passando por São Caetano, é responsabilidade da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), mas é operada pela empresa de transporte Publix.

“Pra você ter uma ideia, geralmente quando passa em SCS os lugares já estão ocupados e quem vai entrando fica de pé no corredor que é muito estreito. Quanto um passageiro precisa descer, todos temos que fazer malabarismo, às vezes tem que descer todo mundo que está no corredor para alguém desembarcar. Fora que, essa linha tem muita gente com malas, há muitos comissários de bordo também, sempre com bagagem, o que dificulta ainda mais esse tipo de transporte pequeno em horário de pico”, afirma Érika Alves.  Ao contrário dos coletivos urbanos, os ônibus para o aeroporto não têm barras de apoio, o que expõe os usuários a riscos de queda.

Além de reduzir drasticamente o espaço para os passageiros com ônibus menores, o número de viagens também diminuiu e o tempo de espera por esses veículos aumentou, como mostra reportagem do Diário do Grande ABC. Agora, a linha 470 realiza apenas nove viagens diárias em direção à Capital e oito no retorno ao Grande ABC, sem funcionar mais aos fins de semana e feriados. Outro problema é o grande intervalo entre o fim do período da manhã e o início da tarde. Após a partida do ônibus das 9h em direção ao aeroporto, o próximo percurso só é feito às 15h. A última saída de Santo André passou a ser às 18h20, enquanto a de Congonhas é às 20h. Antes da mudança, a última viagem em ambos os sentidos era às 22h30. Ainda assim, o horário era incompatível com o do aeroporto, que funciona das 6h às 23h.

Segundo passageiros, a alteração foi feita sem aviso prévio. No site da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), ainda constam os horários antigos. No interior do coletivo, também não havia alertas. Pelo serviço de atendimento ao cliente, a Publix informou que diminuiu a frequência após pedido da EMTU, o motivo seria a baixa demanda. Mas a EMTU não confirma a história, pelo contrário, diz que a mudança de horário e frota realizados pela Publix é irregular. Ou seja, um joga a batata quente no colo do outro e o problema fica como está: sem solução definitiva ou punição aos culpados. “Como não tem demanda, se todos os dias eu faço a viagem em pé, na escada, por conta do excesso de gente?”, questiona a agente de viagens Monique Rocha Ferreira, 25.

Outra informação que foi comentada pelos usuários, segundo Érika, é que essa linha que vai para dentro do aeroporto de Congonhas pode ser extinta. “Se essa linha for extinta, muitos que usam desse transporte para ir a São Paulo vai migrar para o Trem que já tem uma situação difícil. Imagina termos que pegar o trem com malas, depois 2 linhas de metro – verde e azul, e mais um ônibus pra descer do outro lado da Washinton Luiz e ter que atravessar a passarela com bagagem”.

Todos esses problemas com a linha 470 mostram a falta de respeito com o cidadão por parte da EMTU e da terceirizada Publix, que presta um serviço público a preços que não justificam a queda de qualidade do transporte. É direito do cidadão usufruir um serviço público de transporte regular e não ser penalizado pela falta de responsabilidade dos órgãos públicos. É uma afronta a EMTU não ter uma fiscalização constante sobre as empresas licitadas para evitar esse tipo de problema. E é obrigação da Publix, que detém o direito de exclusividade na operação da linha, se pronunciar sobre o caso e prestar um serviço decente ao passageiro, ou ter o contrato cancelado por desrespeito aos horários e frota estipulados em contrato, que define a realização de 42 viagens nos dias úteis e 33 aos sábados e domingos. Além de tudo, é expandindo as linhas públicas de ônibus (e não acabando com elas) que se faz uma cidade mais sustentável, menos dependente do carro e com um trânsito melhor. Vamos cobrar!

Anúncios

5 Respostas para “Transporte precário para Congonhas

  1. O pior de tudo isso é que a EMTU, que deveria fiscalizar, faz vista grossa para esta situação. Por mais que reclamemos, a resposta é sempre a mesma: vamos verificar.
    Enquanto isso, o povo continua pendurado, correndo risco nestes ônibus velhos que não oferecem itens básicos de segurança e o mínimo conforto.
    Até quando?

    Vamos continuar denunciando: facebook.com/passageirosemapuros

  2. é verdade,reclamamos nao só desta linha como de outra, pelo twitter ,pelos sites de reclamaçao ou até a emtu mesmo,ai o que acontece ele mandam,aguarde que mandaremos uma resposta,esse bando de vagabundo desta empresa que coloca esses onibus velhos pra andar sendo que tem novos,ou até nao…tomem vergonha na ara,pq nós passageiros usuarios dessas linha podemos acabar com esta empresa,fiquem ligado publix.

  3. Pessoal, processem a Publix e a EMTU caso sofram qualquer tipo de acidente dentro de seus ônibus, só sentindo no bolso que essa corja se mexe. As vezes, nem assim…

  4. vou viajar para salvador, e pelo amor de Deus estou a quatro dias, vendo a maneira mais facil e rapida de santo andre, a congonhas,. alias ainda vou para guarulhos, um absurdo não ter um bus direto para guarulhos, tbem e uma precaridade de bus tbem para congonhas nos domingos,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s