São Caetano não tem alternativa para aterro

66.523 toneladas. Essa é a quantidade de lixo que o Grande ABC gera por mês. Mais impressionante é que cerca de 5% desse total, ou apenas 3.374 toneladas, são recicladas. O que significa que os 95% restantes vão para aterros sanitários. Os dados apareceram no Diário do Grande ABC nessa semana.

Com exceção de Santo André, que possui área própria, São Caetano e as demais cidades da região enviam o lixo para o aterro particular Lara, em Mauá. E segundo informou a CETESB o status da área caiu de adequado para controlado.

Além da vida útil limitada, os aterros não têm nada de sustentável, pelo contrário: tem maior chance de poluir o solo e cursos de água superficiais ou subterrâneos; geram gases poluentes a partir da decomposição do lixo aterrado; e aumentam o gasto das prefeituras com o transporte do lixo até o aterro.

As prefeituras da região gastam R$ 5,35 milhões por mês com o lixo. No entanto, há poucas opções para substituir a destinação dos resíduos para o aterro. O que a maioria das prefeituras pretende é reduzir a quantidade de lixo por meio da reciclagem, mas estão longe de um resultado significativo. Algumas, como São Caetano, sequer apresentaram uma meta para a reciclagem nos próximos anos.

Santo André é a cidade que está mais avançada nesse sentido: recicla 15% do lixo gerado por mês. As demais, incluindo aí a nossa São Caetano, não chegam a ultrapassar 2%. Uma das campeãs brasileiras é Curitiba, no Paraná, com percentual de 22%.

A lei que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos deve alavancar a corrida ambiental no ABC. Todas as cidades brasileiras são obrigadas a apresentar até agosto o seu Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. Seguindo a pouca disposição dos municípios da região, São Caetano ainda não concluiu o seu plano. Estamos de olho na qualidade do projeto que será apresentado, porque em ano eleitoral, já viram, né? O que não é propaganda fica em segundo, terceiro, quarto plano…

Alternativas?

São Bernardo é o município do Grande ABC que está mais próximo de apresentar uma alternativa ao aterro: a “Usina Verde”, que irá separar o lixo seco para reciclagem e incinerar a parte úmida para geração de energia. Estima-se que 45,8% dos resíduos recolhidos na cidade são orgânicos e serão destinados à queima na usina, com produção de energia elétrica. O custo estimado da tecnologia é de R$ 300 milhões.

 A idéia é boa? Será que a alternativa é a incineração? Veja esse movimento sobre o tema.

Aqui no C do ABC acreditamos que não existe solução mágica: é Reduzir, Reutilizar e Reciclar!

Anúncios

4 Respostas para “São Caetano não tem alternativa para aterro

  1. Sou nascido e residente em São Caetano do Sul – SP., há 58 anos. Devido viajar bastante, profissionalmente, chego a ser chato por divulgar tanto minha querida cidade. Entretanto fiquei decepcionado neste momento pelo fato de ter conhecimento que os órgãos responsáveis ao Meio Ambiente da cidade, ainda não elaboraram o nosso Plano de Gestão Municipal de Resíduos Sólidos, cuja lei determina que todos municípios brasileiros deverão possuí-los até o dia 02.08.2012. Lembramos que tal documento deverá ser devidamente aprovado, divulgado e ter as suas responsabilidades assumidas e relatadas no mesmo, analisadas e prontamente implantadas em todos bairros da cidade.
    Até 2014 precisamos ter uma definição para onde iremos transferir os nossos resíduos sólidos, uma vez que os aterros sanitários não poderão mais existir a partir daquele ano. Sou a favor da ideia que devemos educar o nosso povo para diminuírem a geração dos resíduos sólidos, toda escola dentro de São Caetano do Sul deveria ter em seu curriculum a matéria voltada para Meio Ambiente, 100% dos bairros deveria possuir coleta seletiva, a prefeitura de SCSul poderia incentivar financeiramente pequenas empresas ou ONG’s para cuidarem dos materiais recicláveis, transformando os mesmos novamente em matéria prima para outras finalidades, enfim, este assunto pode no momento parecer “chato”, só que estamos falando de vida (biota) e para termos uma vida devidamente sustentável para o futuro, temos que trabalhar imediatamente para conseguirmos transformar e fazer o mundo conhecer que São Caetano do Sul é uma cidade que possui o selo “Verde”, pois cuida do seu meio ambiente e das gerações futuras.

    • É esse o espírito, Sidnei.

      Defendo muito o conceito dos 3 “R”s, Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Temos que produzir menos lixo e tentar reutilizar os produtos ao máximo, pensando num consumo mais consciente, e Reciclar o resto.

      São Caetano tem um projeto “piloto” de coleta seletiva que atinge uma parcela muito pequena da população. Além do mais, não adianta só recolher lixo de forma seletiva, tem que educar e incentivar a reciclagem.

      Sem essas duas vertentes, a estrutura que envolve a reciclagem, e campanhas educacionais e de incentivo, não se pode falar em uma política séria para resíduos na cidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s